Conheça Cabo Verde

Geografia e Geologia

Cabo Verde: o excêntrico arquipélago do Atlântico

Junto à costa da África Ocidental, há milhões de anos, emergiu das profundezas do mar o que viria a ser o arquipélago da República de Cabo Verde, construído a partir de detritos vulcânicos, materiais minerais e orgânicos, sedimentados pela força dos dias. A aridez e semiaridez do clima divide as estações em duas: o tempo das brisas e o das águas. A chuva é escassa, com longos períodos de seca, mas as temperaturas, marcadas pelos ventos alísios, são moderadas todo o ano. Entre as planícies lunares, as vertigens vulcânicas e o imenso mar, a particularidade destas ilhas não se esquece.

As ilhas e ilhéus de Cabo Verde

As ilhas e ilhéus de Cabo Verde
República de Cabo Verde, Arquipélago e Imagem de Satélite

Cabo Verde é um país insular, com uma extensão de 4033 km², composto por 10 ilhas, 9 das quais habitadas. O arquipélago está localizado no Oceano Atlântico, a 455 km da costa da África Ocidental, à mesma latitude das Caraíbas, e faz parte do conjunto das ilhas Atlânticas, a par dos Açores, Madeira, Selvagens e Canárias. A cidade Praia, na ilha de Santiago, é a capital. Senegal, Mauritânia, Gâmbia e Guiné-Bissau são os vizinhos mais próximos.

Dispostas como um bumerangue, as ilhas estão, devido aos ventos alísios de nordeste, divididas em dois grupos: o Barlavento, a norte, e o Sotavento, a sul. No grupo do Barlavento estão as ilhas da Boa Vista, Sal, Santo Antão, Santa Luzia (uma reserva natural desabitada), São Nicolau e São Vicente. E os ilhéus Branco e Raso, entre as ilhas Santa Luzia e São Nicolau, o ilhéu dos Pássaros, na ilha de São Vicente, os ilhéus Rabo de Junco, ao largo da ilha do Sal e os ilhéus de Baluarte e de Sal Rei, na costa da Boa Vista.

O grupo do Sotavento é composto pelas ilhas Brava, Fogo, Maio e Santiago. E os ilhéus de Santa Maria, junto à ilha de Santiago, os ilhéus Grande, Rombo, Baixo, de Cima, do Rei, Luís Carneiro, Sapado e da Areia que ficam mais próximos da ilha Brava. Santiago, é a maior ilha, com 991 km², seguida de Santo Antão, com 779 km². Brava e Sal são as duas ilhas mais pequenas, com 62,51 km² e 219,8 km², respetivamente.

A torrente vulcânica que deu vida a Cabo Verde

A torrente vulcânica que deu vida a Cabo Verde
Pico do Fogo, Ilha do Fogo, Parque Natural do Fogo

Todas as ilhas do arquipélago são de origem vulcânica. A sua formação começou há 125-150 milhões de anos, durante o período Terciário. O relevo das ilhas é acidentado, com vales profundos, declives acentuados, socalcos, crateras bem definidas e picos muito elevados. A exceção são as ilhas do Sal, Boa Vista e Maio que, por serem as mais antigas, são agora mais planas e áridas, com restos de aparelhos vulcânicos já muito desgastados.

Os pontos mais altos são o topo da Coroa, na Ilha de Santo Antão, a 1600 metros, o pico da Antónia, na ilha de Santiago, a 1819 metros e o pico do Fogo, na ilha com o mesmo nome, a 2819 metros de altitude. Em todas as ilhas há atividade vulcânica, na sua maioria, impercetível. O risco é baixo e as erupções são pouco frequentes, com intervalos mínimos de décadas entre si. Desde o povoamento das ilhas, no século XV, apenas o vulcão do Fogo regista atividade, com erupções nos anos de 1951, 1995 e 2014.

As ilhas de Santo Antão e Brava não têm erupções desde a descoberta, mas podem acontecer no futuro. No entanto, não é caso para temer. Entre os primeiros sinais de atividade vulcânica e a explosão de magma do interior da terra, podem decorrer largos meses. Este período é suficiente para que sejam garantidas as medidas de segurança, já que todas as ilhas são controladas pela rede sismométrica instalada pelo Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica.

A singularidade da fauna e flora cabo verdiana

A singularidade da fauna e flora cabo verdiana
Dunas, Ilha de Santa Luzia, Reserva Natural

O arquipélago é influenciado pela faixa de Sahel, uma extensão de terra, com cerca de 700 km, entre o deserto e a floresta tropical, do Senegal ao Sudão. O isolamento geográfico aliado às massas de ar quente vindas do Continente africano, distingue Cabo Verde das demais ilhas Atlânticas. O clima tropical seco temperado e os curtos períodos de chuva, conferem-lhe características climáticas, geológicas, marinhas, botânicas e zoológicas particulares.

Entre as principais espécies de fauna, destacam-se as aves endémicas, como a passarinha, a calhandra do ilhéu Raso, a cagarra ou o guincho. A fauna marinha é diversificada e motivo de atração turística, com diversos peixes residentes, crustáceos endémicos, como a lagosta rosa, e espécies protegidas como as baleias de bossa, golfinhos e tartarugas marinhas.

Quanto à flora, existem 755 espécies vegetais, concentradas em áreas protegidas pelo arquipélago, sendo 224 indígenas e 92 exclusivas de Cabo Verde. A ilha desabitada de Santa Luzia e todos os ilhéus do arquipélago são reservas naturais essenciais à preservação das espécies.

Existem ainda parques naturais acessíveis: Serra da Malagueta (Tarrafal), Serra do Monte João Teves (S. Lourenço dos Orgão), Monte Pico de Antónia (S. Lourenço dos Orgão), e os Parques Naturais da Cova, Paul, Ribeira da Torre (Paúl), Ilha do Fogo (Fogo), Serra da Malagueta (Assomada - Sta. Catarina), Barreiro e Figueira (Barreiro), Monte Verde (Mindelo), Moroços (Ribeira Grande), Rui Vaz e Pico de Antónia (Rui Vaz), Topo de Coroa (Santo Antão), Monte Gordo (São Nicolau) e Norte (Boa Vista).